sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Buzzcocks - "Boredom"



Tema que faz parte do EP "Spiral Scratch" de 1977.

Buzzcocks - "Spiral Scratch" (EP) (1977)
 ----------------------------------------------------------------------------------------------------

"Fica o tédio. Nada pode surpreender mais do que o tédio. Pensa-se todas as vezes ter atingido o fundo. Mas isso não é verdade. Mesmo no fundo do tédio, há uma nascente de um tédio sempre novo. Pode-se viver de tédio. Acontece-me acordar de madrugada, aperceber-me da noite que então foge impotente diante das brancuras demasiado corrosivas do dia que chega. Antes do grito das aves entra no quarto uma frescura húmida, irradiada pelo mar, quase sufocante de tão pura. Aí, não se pode dizer. Aí, é a descoberta de um novo tédio. Descobrimo-lo vindo de mais longe que na véspera. Vazio de um dia.
Encerrar-me-ei no meu palácio de solidão com o tédio por companhia."
Marguerite Duras, "Vida Tranquila" (1944)

----------------------------------------------------------------------------------------------------

"Ás vezes, quando ergo a cabeça estonteada dos livros em que escrevo as contas alheias e a ausência de vida própria, sinto uma náusea física, que pode ser de me curvar, mas que transcende os números e a desilusão. A vida desgosta-me como um remédio inútil. E é então que eu sinto com visões claras como seria fácil o afastamento deste tédio se eu tivesse a simples força de o querer deveras afastar."
Fernando Pessoa, "Livro do Desassossego"

6 comentários:

  1. boooredooooom boooredoooom, ooh ooooh!
    esta música não é nada boredom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não, Ruiva, são os fantásticos Buzzcocks!

      beijos.

      Eliminar
  2. incríveis excertos! Marguerite Duras, tem sempre a palavra certa para aquilo que queremos dizer e não sabemos como...
    e Fernando Pessoa mistura-se com o nosso próprio sentir numa simbiose indecifrável, sem entender os limites de cada um, de tão próximo que o sentimos.
    Obrigada, Hugo!
    Beijinho
    e levo tudo isto comigo e volto para reler
    "...se eu tivesse a simples força de o querer deveras afastar."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Andy por este comentário tão bonito! E o mais importante é levares isto tudo contigo.

      beijos.

      Eliminar
  3. Partilho destes desassossegos meu amigo.

    beijinho


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos uns desassossegados, Fê.

      beijos.

      Eliminar