quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Silvia Machete - "Pé"



 Esta semana estou no turno da noite, e ontem gozei uma noite minha por direito, ao fazer gazeta a meio da semana para ir ver a Silvia Machete ao Santiago Alquimista. Comecei por assistir ao concerto lá em cima, mas enquanto a segunda música tocava, fui ver como estava o som lá em baixo, e por lá fiquei. De seguida, a Silvia dirigiu as primeiras palavras ao público presente, salientando o frio, mas garantindo que a coisa ia esquentar. O gelo foi sendo quebrado com algumas intervenções da intérprete entre músicas, num estilo cómico e não muito longe de uma simples e eficaz stand up comedy. A certa altura, começa-se a ouvir a voz de um homem embriagado a dizer de quando em vez alguns impropérios : entre eles "És muita boa!". A Silvia vai respondendo, e qual é o meu espanto, quando me apercebo que aquela voz marota era do meu querido Jorge Palma, sentado numa mesa ao pé do palco e mesmo ali à minha frente. O entusiasmo do Jorge levou-o a cantar junto dos músicos da Silvia, "Underneath  the Mango Tree", tendo todos os músicos (incluindo o Jorge) um chapéu alusivo a algum animal simpático. A música "Toda Bêbada Canta" foi dedicada ao Jorge, por razões óbvias. O concerto teve vários números de malabarismo e surpresas. No tema "O Baixo", a Silvia depois de tocar alguns acordes num contrabaixo, serviu-se do dito instrumento para algo muito sensual enquanto interpretava o tema. No "Fim de Festa", a Artista pendurou-se num trapézio que faz lembrar um candeeiro e rodopiou a grande velocidade para espanto da plateia. Mas o momento mais escandaloso e do qual eu já estava à espera, foi na interpretação do "Pé", com toda aquela performance fantástica que se pode ver no vídeo que publico. Posso garantir que a interpretação desta música no Santiago Alquimista, foi ainda mais perfeita e com um vestido mais bonito. Vestidos esses que foram sendo trocados ao longo do espectáculo. Para terem mais um pouco da ideia do desconcerto criado, posso referir por exemplo, que aquando da apresentação da banda pela Silvia, o baterista cantou um excerto do fado "Gaivota" e o rapaz do xilofone leu um poema de Rainer Maria Rilke através do seu iPad.
Ela veio apresentar o seu último trabalho "Extravaganza" (2010), mas esta música que publico é do seu primeiro álbum "Bomb of Love" (2006).

Silvia Machete - "Bomb of Love" (2006)

8 comentários:

  1. Fazer gazeta???
    Ao tempo que não faço isso...
    Parece que valeu a pena, por isso fizeste bem!

    Bjis :)

    ResponderEliminar
  2. Parece-me que a gazeta valeu a pena, tiveste num espectáculo cheio de surpresas, por acaso não conheço a Silvia Machede!

    ResponderEliminar
  3. Oi Hugo,

    Tudo bem?

    Sim, do Grêmio, acho que de 2009.

    A Ti, um ótimo final de semana: que seja repleto de música!


    Bjkas

    ResponderEliminar
  4. Hugo, a vida é só uma e passa tão depressa :D
    Fizeste bem e decerto em boa companhia :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pela visita ao blog! ;) Espero que a tua mana não tenha a mesma sorte que eu, neste momento: o desemprego...

    Beijinhos e volta sempre. Aproveita e visita também o meu outro blog "olhar, ver e reparar" ;)

    ResponderEliminar
  6. Como sempre, ótimas dicas...

    ResponderEliminar